twitter facebook youtube
Câncer
Voltar

O que é?

O câncer é uma doença que se caracteriza pelo aumento desordenado de células que podem ou não invadir tecidos e órgãos. Tais células podem ser malignas ou benignas.

Quando o tumor é maligno, as células tendem a se alastrar por várias partes do corpo de forma desordenada, entrando na corrente sanguínea ou linfática e consequentemente podendo se alojar em tecidos distantes em relação a sua origem. A essa disseminação chamamos de metástase. Com os sucessivos acúmulos de células cancerosas ou neoplasias malignas é que se formam os tumores malignos.

Tumores benignos são menos evasivos, suas células se alojam de forma localizada, ou seja, não se alastram para outros tecidos ou órgãos, e sua multiplicação celular acontece de forma lenta e gradativa.

Outra forma de diferenciar tumores malignos e benignos está nas características de suas células. Tumores malignos apresentam alterações genéticas em seu núcleo, facilitando esse crescimento desordenado, já os tumores benignos apresentam células com tecidos iguais aos do local onde se instalou. Vale ressaltar que tumores benignos jamais se tornaram malignos, e que só classificamos a doenças como cancerosa, quando este tumor for maligno.

Tipos de Câncer


Mama | Gatrointestinais | Geniturinário | Oncologia Geriátrica | Cabeça e Pescoço | Ginecológico | Hematológicos | Pediátricos | Próstata | Pulmão | Colo-retal | Esôfago | Bexiga | Testículo | Fígado | Pâncreas | Tireóide | Tumores do Sistema Nervoso Central | Pele | Boca | Endométrio | GIST | Leucemia | Linfomas | Sarcoma | Próstata | Anal | Laringe | Tumores Ósseos

Diagnósticos

Como existe uma diversidade de tipos de câncer, com características e estágios de avanço histopatológico em situações diferentes, para se obter um diagnóstico preciso, o médico deve levar em consideração a principio, os sinais e sintomas apresentados pelo paciente.

Segundo a Inca (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 70% dos diagnósticos de câncer, são detectados por médicos que não são oncologistas, o que demonstra como esse primeiro contato de investigação da doença, deve ser realizado levando em consideração o relato do paciente.

Atualmente existe uma diversidade de exames para o diagnóstico do câncer, desde os mais básicos, como a coleta de sangue, por exemplo, quanto os mais específicos como as biopsias que são realizadas para verificar o tipo de tumor, se o mesmo é maligno ou benigno, ou ainda o exame Papanicolau, que é especifico para detectar o câncer no colo do útero.

Para cada tipo de câncer haverá um exame especifico para diagnosticá-lo, portanto a consulta médica e o relato do paciente se tornam de extrema importância para detectar a doença.

Lembre-se: Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura!

Tratamento


Logo após o diagnóstico do paciente, virá a fase que determinará o sucesso para a cura ou melhora da doença, ou seja, o tratamento.
Para realizar o tratamento, o médico deve levar em consideração o tipo de câncer, suas características, analisando o tamanho do tumor, se houve ou não metástase, ou seja, a disseminação celular para outras partes do corpo, caracterizando um tumor maligno, ou se o tumor se manteve em disseminação controlada e com tecidos que se caracterizam com os de suas origem, os chamados tumores benignos.

Essa série de características é quem irão determinar que tipo de tratamento o paciente será submetido, podendo ser através de cirurgia, para a retirada do tumor, principalmente em estágio inicial, radioterapia, que realiza a destruição dos tumores através de um feixe de luz ionizante, quimioterapia, com a utilização de substancias químicas que afetam o funcionamento celular, transplante de medula celular, hormonioterapia, com a introdução de hormônios no organismo com o intuito de impedir a ação de hormônios que ajudam na disseminação de células cancerosas, além de terapia oral, com a utilização de medicamentos ,e terapia alvo, que atinge um alvo molecular especifico.

Prevenção


Reduzir a possibilidade para o aparecimento de alguns tipos de câncer é possível, e a prevenção se torna importante para que isso aconteça.

Para a prevenção do câncer, é necessário o comprometimento com novos hábitos na vida. O câncer de pele, por exemplo, poderá ser evitado com a utilização de protetor solar diariamente, antes de se expor ao sol.

Cânceres de pulmão, orofaringe e palato, adquiridos devido o consumo de cigarro e bebidas alcoólicas, poderão ser evitados quando o paciente se conscientizar em não mais utiliza-los, já que a interrupção desses hábitos ajudarão a reverter um futuro caso de câncer nessas regiões.

Outro exemplo de prevenção da doença é o exame Papanicolau, que pode ser feito pelo menos uma vez por ano, e ajuda a detectar possíveis lesões no colo do útero. O tratamento precoce irá possibilitar que essa lesão não se desenvolva tornando-se maligna.

Outra dica importante de prevenção do câncer para as mulheres, é o auto exame das mamas mensalmente. E a partir dos 35 anos, a mulher deve realizar a chamada mamografia, para a prevenção do câncer de mama.

Para os homens, existe o autoexame nos testículos e o toque retal realizado pelo médico especialista para prevenir o câncer de próstata.

Uma alimentação saudável, também é uma forma de prevenir o câncer. Por isso priorize alimentos como frutas, cereais, legumes e evite carnes e alimento gordurosos.

Consulte seu médico, e faça os exames periodicamente. Tenha hábitos saudáveis, todas essas são formas eficazes de se prevenir o aparecimento do câncer.

Unidade I
Av. Visconde de Souza Franco, 570 - Belém/PA
CEP 66053-000
Central de Atendimento
(91) 3223-5800
Unidade II
Tv. Nove de Janeiro, 1272 - Belém/PA
CEP: 66060-370
(91) 3259-5800

Newsletter
Digite abaixo seu nome e e-mail para receber a nossa newsletter.


Unidade III
BR. 316, KM 09, 1604 - Ananindeua/PA
CEP: 67030-007
(91) 3346-7441
Unidade IV
Rua Santa Terezinha, 304 - Paragominas/PA
CEP: 68625-970
(91) 3729-1546
Unidade V
Av. Presidente Médici, 432 - Dom João VI - Capanema/PA
CEP: 68701-410
(91) 3462-1308
Duplla Comunicação